Meus Sermões

QUEBRANDO MALDIÇÕES NA FAMÍLIA
Malaquias 4.5, 6

 

...Mais um momento de adoração
Aleluia! Vamos adorar a Deus uma vez mais. Mas ouça isto: a Bíblia diz que “Os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores” (Jo 4.23). 

Adorador não é aquele que canta, mas aquele que obedece, que teme ao Senhor. 

Adorador é aquele que pratica o proskuneo. E proskuneo significa abaixar o corpo ou dobrá-lo, prostrar-se, literal ou simbolicamente, em homenagem, em reverência a alguém. 

Esse é o tipo de adorador que falta: o que se prostra diante do trono de Deus com reverência e com reconhecimento de que o Senhor é Deus, o Rei dos reis e o Senhor dos senhores. 

Muitos não agüentam cantar para Deus dois ou três cânticos seguidos e logo se sentam ou já ficam confortavelmente acomodados. 

Aqui está o porquê de existirem poucos adoradores. Quase ninguém quer pagar o preço para prostrar-se: é incômodo, pode doer as pernas, doer as costas, pode amassar a roupa, até desalinhar o penteado (se os seus cabelos são compridos). E pouca gente aceita isso. 

Agora, se lermos bem o que a Palavra diz, iremos entender exatamente o que Deus procura: “Os verdadeiros prostradores se prostrarão ao Pai em espírito e em verdade, porque são estes que o Pai procura para seus prostradores”. 

Com esse gesto, a gente não precisa lembrar a Deus que Ele está sentado no trono de poder, com autoridade e domínio; mas é indispensável, que lembremos a nós mesmos, através da prostração, que Ele é a autoridade máxima. 

Com o nosso prostrar diante do trono de Deus, nós concordamos: “Sim, Senhor, como os céus são mais altos do que a terra, assim são os Teus caminhos mais altos que os meus caminhos, e os Teus pensamentos mais altos do que os meus pensamentos... em tudo, o Senhor é mais alto do que eu. Em Ti eu vivo, me movo e existo. Sem o Senhor, nada sou e nunca serei nada”. 

Irmãos, nós precisamos resgatar o temor do Senhor. 

Não sei direito porque estou dizendo isto se vou pregar... mas vamos dar aquilo que o Senhor quer. Vamos adorá-lo uma vez mais. 

Música CD 

Oração: 
Oh! Senhor, queremos nos aquietar e saber que só o Senhor é Deus, nosso Rei, o Senhor, a nossa Autoridade Máxima, o Proprietário de todas as coisas. 

Nós ficamos impressionados com o Senhor, ao contemplar Sua tremenda santidade, Seu majestoso esplendor, Sua reluzente glória, Seu poder ilimitado e Sua inquestionável autoridade. 

Nós adoramos o adoramos, Senhor, por Seu caráter santo, Sua sabedoria infinita e Sua misericórdia que não tem fim. 

Diante do Senhor nos prostramos e dobramos nossos joelhos em Sua presença, porque reconhecemos Sua perfeita beleza, Sua fascinante personalidade... 

Ah! Como é lindo o nosso Senhor. Ninguém é tão doce. Nenhuma outra pessoa nos fala tão amável, nem nos olha com olhar tão cheio de ternura, como o Senhor. 

E declaramos, Senhor, o de que mais necessitamos é ter uma melhor revelação do Senhor, de como o Senhor é... supra essa nossa carência, Senhor. Queremos fazer nosso o que Moisés pediu: “Rogo-te que me faças saber neste momento o teu caminho, para que eu te conheça e ache graça aos teus olhos”. 

Oh! Senhor, obrigado, muito obrigado, porque sei que o Senhor nos atenderá. Em nome de Jesus. Amém. 

Momento Profético
Vou pregar sobre “Quebrando Maldições na Família”, mas antes, vamos fazer um movimento profético. 

Coloque-se em pé no seu lugar. Faça assim com suas mãos (estendendo-as como segurando algo). Há poder de Deus nas suas mãos! Tome as maldições sobre a família em seus braços. Agora faça isto (quebrando contra o joelho). Joga no chão. Pisa em cima! 

Tem mais? Ah! Sim, tem a maldição financeira, difícil de quebrar, porque implica em trazer todo o dízimo à Casa do Tesouro. Mas tome-a firme na sua mão. Quebra! Joga no chão e pisa em cima! Aleluia!! 

Agora, vamos fazer um segundo movimento profético. 
Pense em alguém da sua casa que ainda não veio para Jesus... vamos chamá-los para a salvação. 

Vamos começar pelo chefe, o cabeça da casa. Diga alto: “Pai, vem para Jesus!” (gesticular “vem” com a mão). 
Agora diga: “Mãe, vem para Jesus”. 
O irmão, vamos chamar o irmão: “Irmão, vem para Jesus”... a irmã: “Irmã, vem para Jesus”. 
Todos os pais, vamos chamar os filhos para Jesus; digam: “Filho, vem para Jesus! Filha, vem para Jesus!” 
Vamos chamar a família inteira. Diga: “Família, vem para Jesus! Vem! Vem! Vem!!!” 

Quebrando Maldições na Família
Malaquias 4.5, 6

Introdução
Esse texto trata de uma questão de extrema importância no que diz respeito à maldições na família e como quebrá-las.

Está escrito que “...Ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais...”. Para quê? ...para que a terra não seja ferida com maldição, diz o Senhor.

Se você é uma pessoa que diz: “Ah! Fulano de tal tem uma família que é um sonho! Quem me dera ter uma família também assim”.

Eu quero dizer: Louvado seja o Senhor, por que isto não constitui um sonho inatingível – esse é um sonho plenamente possível de ser alcançado, porque anjos de Deus trabalham em nosso favor e o próprio Deus tem prazer em tornar nossa família abençoada. Aleluia!

Mas o maior impedimento para Deus fazer isto por nós, não é o fato de termos algum problema com nossa família; de estarmos passando por uma dificuldade em casa ou enfrentando uma crise na família.

O maior obstáculo para Deus fazer um milagre na vida de uma pessoa é ela fingir que vai tudo bem e não buscar ajuda; é ela estar com um problema e levar a vida como se o problema não existisse.

De modo geral as pessoas não param para pensar no seu relacionamento dentro de casa – mas somente somos felizes, se somos felizes dentro de casa.

Alguns irmãos, talvez pensem, que para ser felizes, devem procurar a igreja... devem fugir dos problemas de casa e encontrar refúgio na igreja...

Nós devemos vir à igreja, sim, mas para adorar a Deus. Igreja não é lugar de fuga dos problemas de casa; igreja não é lugar de fuga do casamento conturbado, do filho malcriado ou dos pais incompreensíveis... igreja é lugar de adoração, é lugar de libertação, mas não de fuga.

Mas muitos vêem a igreja como o lugar de escape, como o lugar onde encontrar a felicidade. Então, investem tudo na igreja ao invés de investir na família.

Sabe, isto está errado. A Bíblia diz que “...se alguém não tem cuidado dos seus, e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente” (1Tm 5.8). Aquele que descuida dos seus não é igual aos incrédulos; é pior. [diga: misericórdia!]

Na noite em que eu fui ordenado pastor na Igreja Batista Central em Teresópolis, o Pr José Armando Cidaco, foi o pregador e, em sua mensagem, ele disse: “Walter, organize as suas prioridade” e me mostrou quais seriam elas: “Deus, família, igreja”. E ainda nesta semana, ao me lembrar disso, Deus chamou minha atenção e me levou a refletir seriamente sobre minha vida familiar.

Diga depois de mim: Eu só serei feliz - se eu for feliz - com Deus - e depois - dentro de casa.

Em São Paulo, fulano matou o pai e a mãe. No Rio de Janeiro, sicrano também matou seu pai e sua mãe.

Histórias desse tipo, que aparecem aos milhares (e muitos nem chegam a ser noticiados na televisão), não deixam dúvida de que a família está sob maldição.

Mata-se em nome da honra, trai-se em nome do amor... o respeito acabou.

A Bíblia também registra histórias de doer o coração.

O sacerdote Eli perdeu os dois filhos, e por causa deles perdeu a vida.

O rei Davi teve todo tipo de desgosto que um pai pode ter com os filhos.

O profeta Samuel ouviu uma das piores coisas que um homem pode ouvir no fim da vida

E muitos outros deixaram um saldo negativo no que diz respeito a sua família... mas amado, tomemos esta decisão: A história da nossa família vai ser diferente, em nome de Jesus!

O livro de Gênesis fala de uma família de dar pena: Foi a primeira família da terra, e a família idealizada por Deus.

Adão foi um privilegiado! ...ele não precisava ter ciúme da esposa (era só ele e Eva no pedaço)... não tinham carro pra dar defeito... não tinham problema de dinheiro... eram um casal nota dez, com tudo para construir uma família abençoada.

Mas o que foi que aconteceu?

A mulher foi enganada e caiu em pecado. Depois, contou pro marido o que havia feito e o levou a fazer o mesmo.

E o que fez Adão? Reprovou a atitude de Eva? Não; ele foi e cometeu o mesmo erro que ela.. (ao invés da esposa encontrar no marido desestímulo ao seu gesto, um freio para sua atitude, Adão foi uma espécie de acelerador).

Adão poderia ter dito: “Eva, você errou. Vamos pedir a Deus que nos perdoe”. Mas não. Ele seguiu pelo mesmo caminho da esposa.

E o resultado, todos sabemos: Deus os expulsou do paraíso... mas a conseqüência não foi só esta, basta considerar o que aconteceu com os filhos: Abel foi assinado por Caim, seu irmão. A maldição caiu sobre a família.

Ouça: apesar de Adão ter sido criado por Deus, ele foi um marido, eu penso, que nenhuma mulher gostaria de ter.

Quando Adão prestava contas diante de Deus pelo erro cometido, ele disse: “Foi a mulher que me deste por companheira, Senhor; ela é que me deu do fruto da árvore, e eu comi... foi a mulher que tu me deste”. Adão não assumiu seu erro nem poupou a esposa.

Eva participou da primeira sessão espírita – satanás incorporou numa serpente e falou com ela. Mas Adão, como marido, nem tomou conhecimento do que se passava nas redondezas do jardim que ele devia cuidar e cultivar.

Quando a esposa procurou por ele e ofereceu o fruto proibido, ao invés de Adão chamar a atenção e reprovar a atitude de Eva, ele foi e cometeu o mesmo erro.

Então, quando caiu em si e percebeu que também errou, Adão, em vez de ir a Deus, arrependido, se escondeu entre as árvores, como se fosse possível esconder de Deus.

Eva, por sua vez, criada para ser ajudadora de seu marido, foi passear sozinha, beirando o perigo... o que ela queria nas imediações da árvore do conhecimento do bem e do mal?

Eva devia estar ajudando o marido, mas ela ouve a serpente, que torce a Palavra de Deus, e ainda chama o marido para participar do seu erro.

Deus, então diz que, por causa deles, a terra iria produzir espinhos e ervas daninhas e que a vida do homem seria reduzida sobre a face da terra.

E em tudo isso, a Bíblia não menciona um único pedido de perdão, nem de quebrantamento daquele casal diante de Deus.

Mais tarde, os filhos de Adão e Eva se envolveram num conflito sério, e os pais nem se deram conta, nem perceberam que a tragédia rondava a família.

Caim, movido de inveja, planejava assassinar o irmão; mas nem o pai e nem a mãe suspeitaram do fato.

Caim foi amaldiçoado por haver matado seu irmão, o Abel. E o pai (Adão) nem intercedeu pelo filho, que vai embora de casa... a Bíblia não registra uma oração sequer de Adão.

Irmãos, por isso que digo: essa é uma família de dar pena... ela não serve de exemplo.

Adão é covarde, acusador, incentivador do pecado e deixava as águas rolarem... Eva, como mulher e mãe, não serve de modelo para nenhuma outra mulher se espelhar; Eva não serve de modelo para minha esposa... e ainda tiveram um filho que não é exemplo para nenhum outro.

Agora pense: se a primeira família, idealizada por Deus, com tudo a seu favor, deu no que deu, o que será de nós... o que será de nossa família?

De Adão se diz que ele era feliz porque não tinha sogra pra dar palpite... na verdade, nem ele nem Eva, tinham parente pra enfiar a colher de pau nos assuntos da família...

Olhando para esse casal, que tinha tudo a seu favor, não é vergonha para nenhum de nós, admitir que tem problemas familiares.

É vergonha a gente ter problema? Não. Vergonha é a gente passar uma luta com um filho e não lutar pela transformação dele, não pedir um conselho, não buscar a orientação de Deus...

Vergonha é o pai e a mãe, o marido e a mulher, tomar a atitude que Adão e Eva tomaram... vergonha é um filho tomar a atitude que Caim tomou.

Que a história de Adão e Eva nos sirva de alerta.

Nós não podemos nos iludir. Se Satanás atacou a primeira família da terra, por que pouparia a nossa? Se o primeiro pai enfrentou problemas com os filhos, que dizer de nós?

Irmãos, esse texto de Malaquias diz claramente que o desejo de Deus é poupar a terra de maldição.
Mas para tanto é preciso que: o coração dos pais se converta aos filhos, e que o coração dos filhos se converta aos pais.

A maldição na família é quebrada quando nos propusemos preencher essas duas condições de Deus.

Quem é pai ou mãe, precisa ter o coração convertido aos seus filhos. Isto é, precisa ter o coração voltado para os seus filhos.

Quando se tem um bebê em casa, todas as atenções dos pais se voltam para ele. Abraçam, beijam, fazem cosquinhas na barriguinha dele, pegam no colo... Depois, aos dois aninhos, brincam de cavalinho, colocam no ombro... enfim, é o centro das atenções.

Mas depois, chega a hora da criança ir para a escola e, porque já está grandinha, deixa de receber aquelas atenções, deixa de ter a presença do pai e da mãe... e aí, sai para o mundo em busca da amizade e da atenção que não recebeu em casa.

E por que isso acontece? Porque nós pais, paramos de brincar com nossos filhos, de beijar nossos filhos, de abraçar nossos filhos.

Você sabia que a idéia que os filhos fazem de Deus é a que nós, pais, passamos para eles? Se o pai ou a mãe é ausente, o filho pensa em Deus como ausente.

É isso que está acontecendo em nosso lar?

Como estão os filhos que segurávamos no colo, que acariciávamos? Cresceram, e agora só são tratados a pontapés?

Esse é o rumo que Deus não quer que nossa família tome. Por isso Ele diz: “Pais, voltem o coração para os seus filhos”.

O Senhor também diz para os filhos voltarem o coração para os seus pais.
Os filhos precisam buscar aproximar-se dos pais de quem se afastaram, seja por que motivo for – voltem o coração para seus pais.

Minha esposa é filha de pais separados. A separação ocorreu quando ela ainda era uma criança e desde aquela ocasião, uma amargura entrou para o seu coração, criando nela uma revolta para com o seu pai; uma revolta que a fez viver separada do pai. Por causa dessa amargura, minha esposa viveu 20 anos sem falar com o pai.

Eu me casei com ela sabendo dessa situação. Mas nem eu e nem ela, fazíamos a menor idéia de que nossa família estava debaixo dessa maldição, sujeita a ser destruída com separação também. Quando o Davi nasceu, aquela situação ainda continuava.

Porém, minha esposa ouviu a voz de Deus e o Senhor ministrou muito amor à ela. De alguma maneira, ela compreendeu essa palavra de Malaquias 4.5 e 6 e o coração dela começou a ser convertido ao coração do seu pai – e por uma obra de Deus – o coração do pai, também começou a ser convertido ao coração dela. Num feriado de 7 de setembro, há mais de 1.000 quilômetros de distância (morávamos em Ribeirão Preto-SP), ela por telefone falou com o pai, pediu perdão, liberou perdão, voltou o seu coração ao coração do pai e, naquela hora, a maldição daqueles 20 anos de separação, 20 anos de amargura, foi quebrada quando ela ouviu seu pai dizer “minha filha”.

Amados: Aquele foi um gesto que também quebrou a maldição sobre toda a nossa casa, sobre toda a nossa família. Aleluia!!

Conclusão
Deus está querendo coração dos pais convertido aos filhos e coração de filhos convertido aos pais.

Pais, convertam-se aos seus filhos. Orem para que Deus os salve. Peçam que Deus os ajude a quebrar o gelo, e através da sua vida, mudar a sua casa.

Filhos, convertam-se a seus pais. Não se esqueçam de que o tratamento que derem a eles, será o tratamento que seus filhos darão a vocês – a Bíblia diz que aquilo que semeamos, colhemos.

Quantos, nesta manhã, querem fazer essa oração: “Senhor Deus, faz de mim uma bênção na vida de cada um lá em casa; livra-me de ser causa de tristeza para quem quer que seja, em nome de Jesus”?.

Oração 
Senhor Deus, em nome de Jesus, eu tomo agora sobre mim e sobre minha família, toda a proteção do sangue do Cordeiro, e cancelo todo efeito espiritual das palavras negativas e de maldição pronunciadas sobre a minha vida e sobre a minha família. Eu coloco o sangue de Jesus e o poder da cruz entre a minha vida e todas as palavras de maldição que foram lançadas contra mim e minha família, cancelando todo o efeito dessas palavras, tais como: “família de atôas, que vai para o inferno, de incompetentes, pobres, e outras semelhantes. Faço isso em nome de Jesus. Amém.

Pr. Walter Pacheco da Silveira - baseado em material de Jorge Linhares