Meus Sermões

QUALIDADES DE UM HOMEM DE DEUS
1 Reis 17.24
 
INTRODUÇÃO
Estou louvando a Deus porque vejo aqui uma igreja preocupada com a colheita...
Isto está muito evidente no motivo da celebração desta noite: a formação de novos líderes.
 
Igreja que não têm nenhum plano para formar líderes, planeja, por omissão, perder a colheita.
 
Mas os amados estão em movimento... estão formando líderes, estão afiando o corte...
Certo indivíduo estava tentando cortar uma árvore muito grossa... e ele suava de pingar e parecia não fazer grande progresso em seu trabalho de serrar a madeira. Um companheiro chegou e observou que o machado estava cego e perguntou ao lenhador: "Por que o amigo não vai amolar o machado?"  E o homem respondeu: "Não tenho tempo".
 
Essa história curiosa nos faz pensar em muitas congregações sem visão de treinamento de líderes...
Quantos pastores estão fazendo, sozinhos, a obra de Deus, e estão frustrados, por que também estão dizendo não ter tempo para formar líderes?
 
Quero dizer, amados, que o tempo investido na formação de novos líderes, não é de forma alguma, um tempo perdido – enquanto novos líderes são gerados, o corte do machado vai sendo afiado – e assim, de uma machadada só, vocês produzirão muito e se multiplicarão para a glória de Deus!
 
Agora, ao abrir a Bíblia nesta noite, quero que veja comigo as qualidades de um líder, de um líder gerado de tal forma, que dele se possa dizer: “é um homem de Deus... é uma pessoa de Deus!”.
Porque lemos aqui no v.24, que a viúva de Sarepta disse acerca de Elias: “...Agora eu sei que o senhor é um homem de Deus e que Deus realmente fala por meio do senhor!” Elias foi identificado como um homem de Deus.
 
Amados, hoje, quando nos reunimos em celebração a Deus por novos líderes que foram gerados, que foram formados, que foram treinados, é oportuno fazermos um exame, de alguns aspectos da vida de Elias, para sabermos quais são as qualidades de um homem de Deus.
 
...a primeira constatação é a seguinte:
1. UM HOMEM DE DEUS É ALGUÉM QUE VIVE NA PRESENÇA DE DEUS [pode repetir isso?]
Um líder, quando é reconhecidamente servo de Deus, homem de Deus, pessoa de Deus, tem intimidade com Deus e anda na presença de Deus.
Elias era assim... ele era dedicado na oração – e oração é conversa com Deus, é comunhão com Deus.
 
Está escrito em Tg 5.17, que Elias orava com fervor... por exemplo: “Ele orou com fervor para que não chovesse, e durante três anos e meio não choveu sobre a terra. Depois orou outra vez, e então choveu, e a terra deu a sua colheita”. Aleluia!
 
Veja: pela oração, Elias viu o sobrenatural de Deus, ele viu as grandes intervenções de Deus, tanto na sua vida como na vida do povo de Israel.
 
Irmãos: a vida do líder é a vida da sua liderança.
Uma das maiores necessidades da igreja é a necessidade de ter pessoas íntimas de Deus em posição de liderança... pessoas que conheçam a intimidade de Deus e que vivam na Sua presença.
 
...a segunda constatação na vida de Elias, para aprendermos, é que:
2. UM HOMEM DE DEUS É ALGUÉM QUE TEM PRONTIDÃO PARA FAZER A VONTADE DE DEUS [vamos repetir?]
No v.2 está escrito que Deus falou pra Elias, lemos no v.3: “...Saia daqui, vá para o leste e esconda-se perto do riacho de Querite, a leste do rio Jordão. Você terá água do riacho para beber; e eu mandei que os corvos levem comida para você ali”.
Veja que nojento: água do riacho pra beber (até aí tudo bem), mas comida trazida pelos corvos? ...o que é que urubu come?
 
Mas, lemos no v.5: “Elias obedeceu à ordem do Senhor e foi e ficou morando perto do riacho de Querite. Ele bebia água do riacho, e os corvos vinham trazer pão e carne todas as manhãs e todas as tardes”.
 
Irmãos, sem comentários (vai que você já jantou, ou vai lanchar ainda...): Elias foi um homem que andou no centro da vontade de Deus.
Ele era natural de uma cidade desconhecida, também vinha de uma família pobre, sem projeção...
 
Porém, Deus o enviou ao palácio do rei Acabe... no v.1, Elias está lá, no palácio, entregando o recado de Deus ao rei. Oh! Glória!
 
Mas logo depois disso, Deus mandou Elias para o deserto... [agora, a gente é levado a dizer: misericórdia... do palácio ao deserto!
 
Mas no deserto, Elias aprendeu a depender de Deus, a depender do Abençoador mais do que da bênção.
O deserto não foi um acidente na vida de Elias, mas foi uma escola... estava no currículo de Deus para a vida de Elias e ele se submeteu prontamente!
 
Irmãos, o deserto faz parte do programa de ensino de Deus pra nós... o deserto é a escola superior do Espírito Santo, é a faculdade onde Deus treina os seus melhores líderes.
 
E quando o estágio do deserto terminou, Deus matriculou Elias num estágio mais avançado: Deus jogou Elias no fogo.
Veja só a situação no v.8: “Então o Senhor Deus disse a Elias: Apronte-se e vá até a cidade de Sarepta, perto de Sidom, e fique lá. Eu mandei que uma viúva que mora ali dê comida para você. Então Elias foi para Sarepta. Quando estava chegando ao portão da cidade, ele encontrou a viúva, que estava catando lenha. Elias disse a ela:
-– Por favor, me dê um pouco de água para eu beber. Quando ela ia indo buscar a água, ele a chamou e disse: – E traga pão também, por favor. Porém ela respondeu: – Juro pelo seu Deus vivo, o Senhor, que não tenho mais pão. Só tenho um punhado de farinha de trigo numa tigela e um pouco de azeite num jarro. Estou aqui catando uns dois pedaços de pau para cozinhar alguma coisa para mim e para o meu filho. Vamos comer e depois morreremos de fome. Não se preocupe! – disse Elias. – Vá preparar a sua comida. Mas primeiro faça um pãozinho com a farinha que você tem e traga-o para mim. Depois prepare o resto para você e para o seu filho”.
Sabe, Deus jogou Elias na fornalha... está escrito que Deus enviou Elias a Sarepta, essa palavra no original significa “fornalha”.
 
Mas justamente ali, no meio do fogo, no calor da provação, em Sarepta, na fornalha, Elias viu dois milagres estupendos: a multiplicação do alimento na casa daquela senhora viúva e a ressurreição do único filho dela.
 
Lemos no v.15: “Então a viúva foi e fez como Elias tinha dito. E todos eles tiveram comida para muitos dias. Como o Senhor havia prometido por meio de Elias, não faltou farinha na tigela nem azeite no jarro”. Aleluia!
 
Mas aí, no v.17, lemos isto: “Algum tempo depois, o filho da viúva ficou doente. Ele foi ficando cada vez pior e acabou morrendo. Então ela disse a Elias: – Homem de Deus, o que o senhor tem contra mim? Será que o senhor veio aqui para fazer com que Deus lembrasse dos meus pecados e assim provocar a morte do meu filho?”
 
Elias estava, prontamente, cumprindo com a vontade de Deus.
E foi até acusado, injustamente pela viúva enlutada, mas Elias não se defendeu... ao contrário, orou pelo menino morto e Deus o levantou da morte.
 
Está no v.22: “E o Senhor Deus respondeu à oração de Elias. O menino começou a respirar outra vez e tornou a viver. Elias pegou o menino, e o levou para baixo, para a sua mãe, e disse: – Veja! O seu filho está vivo!”
 
Foi nessa hora que a mulher disse o que lemos no v.24: “Agora eu sei que o senhor é um homem de Deus e que Deus realmente fala por meio do senhor!”
 
Abençoado líder, seja como Elias: pronto para fazer a vontade de Deus! Amém?
 
...outra qualidade de um líder, como homem de Deus, pessoa de Deus, é essa:
3. UM HOMEM DE DEUS É ALGUÉM QUE TEM CORAGEM DE CONFRONTAR O PECADO [repita isso]
Elias não foi um profeta da conveniência, mas foi, sim, um arauto da verdade.
A bandeira que Elias defendia não era agradar as pessoas, mas era chamar pessoas ao arrependimento.
 
Se você puder, veja no capítulo seguinte (1Rs 18.18), Elias confrontou o rei Acabe chamando ele de “perturbador de Israel”.
 
Está escrito: “Eu não sou criador de problemas para o povo de Israel! – respondeu Elias. – Você e o seu pai é que são criadores de problemas, pois abandonaram os mandamentos do Senhor Deus e adoraram as imagens de Baal”.
 
Elias também confrontou o povo indeciso, que não tomava uma postura de obediência a Deus.
Elias, lemos no v.21 (cap 18): “Elias chegou perto do povo e disse: – Até quando vocês vão ficar em dúvida sobre o que vão fazer? Se o Senhor é Deus, adorem o Senhor; mas, se Baal é Deus, adorem Baal!” ... Elias ordenou que o povo saísse de cima do muro.
 
Irmãos, precisamos de líderes assim, líderes que sejam boca de Deus, que falem a verdade em amor, dentro de casa e fora de casa, nas reuniões da igreja, nas células e nas ruas... é preciso de líderes com coragem para confrontar o pecado.
 
Que Deus nos dê líderes assim! Amém?
 
E, por fim, constatamos o seguinte:
4. UM HOMEM DE DEUS É ALGUÉM QUE PREGA A PALAVRA COM A VOZ E COM A VIDA [pode repetir isso?]
Voltando ao v.24, lemos que a viúva de Sarepta disse que a Palavra de Deus na boca de Elias era verdade.
Nem todas as pessoas que proferem a Palavra de Deus são boca de Deus, mas quanto a Elias, aquela mulher testemunhou: “eu sei que o senhor é um homem de Deus e que Deus realmente fala por meio do senhor!”.
 
Irmãos, uma coisa é proferir a Palavra de Deus, outra coisa é ser boca de Deus... uma coisa é pregar aos ouvidos, e outra coisa é pregar também aos olhos...   
 
Algumas pessoas pregam a Palavra para os ouvidos... agradam, causam boa impressão, divertem o público, mas porque os olhos são deixados, os corações permanecem insensíveis.
 
Mas, há pessoas de Deus que são como Elias, que pregam a mesma  verdade que aquelas e os corações se derretem.
Por que essa diferença? ...é que essas pessoas são boca de Deus e aquelas outras não são.
 
A Bíblia conta de Geazi, líder em treinamento do profeta Elizeu... Geazi colocou o bastão profético no rosto do menino morto e o menino não se levantou.
 
O problema não estava no bastão, estavam em quem carregava o bastão...
 
O bastão profético na mão de Geazi, não funcionava... porque a vida de Geazi não era reta diante de Deus como era a vida de Eliseu.
Líderes: a unção não está no homem, está em Deus... mas Deus usa vasos de honra – você precisa ter honra!
 
Hoje, o mundo está escutando dos evangélicos belas palavras, belas canções diante do trono... mas não é suficiente: o mundo precisa ver vida de Deus em nós.
 
Amados, precisamos pregar aos ouvidos, mas aos olhos também... precisamos falar e demonstrar... precisamos pregar e precisamos viver o que pregamos.
 
Precisamos de líderes que sejam semelhantes a Elias, homens de Deus, pessoas de Deus, em cuja boca a palavra seja verdade.

 


 
Pr Walter Pacheco da Silveira, 9.7.2008. Fonte: Rev. Hernandes Dias Lopes